DELEGAÇÃO LATINO-AMERICANA

INTRODUÇÃO AO IIº VOLUME DA CIÊNCIA DOS MAGOS de GIULIANO KREMMERZ


No Iº Volume da "Ciência dos Magos" estão reunidos os escritos que Giuliano Kremmerz, nos anos 1898 – 1899, publicou na Revista "Il Mondo Secreto".
Nestes escritos Kremmerz expôs a doutrina mágica, indicando as suas bases principais e definindo os seus possíveis campos de ação.No IIº Volume estão reunidos outros escritos, que foram publicados posteriormente, com exceção de "Anjos e Demons do Amor" de 1898; neste encontramos reunido tudo o que Kremmerz publicou na revista "Commentarium" (anos 1910-1911), encontramos a importante obra "A Porta Hermética" (ano 1910), "O Tarô do ponto de vista filosófico" (de 1910 a 1923) e "Medicina Dei" (1921).


(continua na página Kremmerz)


PRIMEIROS CONTACTOS ENTRE HERMETISMO E MAÇONARIA

Dos escritos de Buhle, de Ragon, e dos mais recentes de Hohler, de Silberer e de Wirth, resulta claro que entre o hermetismo e a maçonaria existiram contactos desde os primeiros anos do século XVII.
Um exemplo de contacto mais antigo, entre simbolismo maçónico e alquímico, encontra-se nas obras do Cardeal Nicolò da Cusa, o grande filósofo pitagórico do século XV, e precisamente em duas passagens das "Excitationum ex sermonibus", das quais já nos ocupámos e reproduzimos no artigo "Sobre a origem do simbolismo maçónico".
Mas existem outros contactos, de origem talvez ainda mais antiga, entre a tradição das corporações dos pedreiros e a tradição hermética, os quais, se não erramos, não foram ainda observados pelos escritores de hermetismo e pelos autores de estudos maçónicos.


(continua na página Magnani)


A BEBIDA DO PADRE ZAGO PARA A CURA DO CÂNCER

Nascido em Progresso (Rio Grande do Sul) Romano Zago, descendente de uma família italiana, é um padre franciscano.
Estudou filosofia em Daltro Filho e Teologia em Divinόpolis, no Mato Grosso. Foi nominado professor no seminário de Taquari onde tinha iniciado os seus estudos; em 1971 formou-se em letras e ensina Francês, Espanhol, Português e Latim. Atualmente mora em Porto Alegre.
"O aloé, ou Babosa, - declarou o franciscano – é muito conhecida no Brasil, minha mãe nos dava sempre como calmante, quando éramos crianças e nos feríamos brincando ou para tantas pequenas coisas ligadas aos problemas físicos. Mas naquela época eu não pensava que uma planta tão pequena e conhecida pudesse possuir um poder curativo tão grande".
Misturando o suco obtido após bater as folhas da planta com simples mel de abelhas e grapa, obtém-se um composto de propriedades curativas extraordinárias. (continua na página Kremmerz)

.

Ultima atualização: maio de 2015

Newsflash