DELEGAÇÃO LATINO-AMERICANA



VIDA DO MESTRE J.M. KREMMERZ

Carlo III de Bourbon, Rei de Nápoles, mandou construir a sua sede de verão em Portici pelas esplêndidas riquezas naturais do lugar: o mesmo Rei que entretinha-se em longas conversas com o Príncipe Raimondo di Sangro di San Severo. E foi graças à monarquia que os grandes intelectuais daquele tempo passaram por Portici, como J.J. Winckelmann, o arqueólogo de Herculano e Pompeia, Mozart que ali esteve em 1770. Durante a regência de Ferdinando IV encontramos em sua corte homens ilustres como Mario Pagano, Pietro Colletta, e Gaetano Filangieri. Em 1812 habitaram ali Lord Byron, Giacomo Leopardi, Gioacchino Rossini e Vincenzo Monti. 
Com o Rei Francisco II Portici prosperou: conheceu a iluminação a petróleo, e foi construida a primeira ferrovia italiana, mas o bem estar não durou muito. Em 1848 quando explodiram as grandes revoluções nacionais e sociais da Europa, Portici sofreu em cheio as consequências enquanto sede do reinado dos Bourbons.


(continua na página Kremmerz)


BARREIRAS

O primeiro movimento do homem que busca a Via deve ser aquele de romper com a imagem habitual que tem de si mesmo. Somente então ele poderá começar a dizer Eu, quando a palavra mágica corresponda a imaginação interior de um sentir-se sem limites de espaço, de idade e de potência.
Os homens devem alcançar o sentido da realidade de si mesmos. Por hora esses não fazem que limitar-se e mutilar-se, sentindo-se diferentes e menores daquilo que são; cada pensamento seu, cada ato seu é uma barreira a mais à sua prisão, um véu a mais à sua visão, uma negação da sua potência. Se fecham nos limites do seu corpo, se atrelam à terra que os conduz: é como se uma águia se imaginasse serpente e rastejasse no solo ignorando as suas asas.

(continua na página Magnani)


AS REGRAS DE OURO DA HERMETIC BROTHERHOOD OF LIGHT (H.B. of L.)

Introdução
A regra de ouro que devemos recordar em todas as fases da preparação hermética é aquela do equilíbrio. A evolução científica dos poderes ocultos da alma humana é resultado de um procedimento metódico e de uma aplicação constante, assim como acontece na educação de uma criança. Não podem ser esperados resultados imediatos. Se estes são obtidos serão prematuros e anormais e ao invés de estimulá-los devemos freá-los já que a perfeita harmonia seria violentamente perturbada.
O desenvolvimento dos poderes ocultos e dos atributos da alma tem um período de gestação e um de maturação antes de alcançar o momento culminante quando podemos recolher os frutos espirituais do nosso trabalho.
O neófito deve, antes de mais nada, compreender profundamente do que se trata antes de começar a trabalhar cegamente. Deve ter uma ideia precisa da disciplina e do treinamento espiritual antes de tentar qualquer prática. De tal maneira terá uma ideia a mais aproximativa possível sobre este tema tão importante.
As seguintes normas, breves mas importantes, devem ser meditadas com proveito.
A preparação oculta ou cultura psíquica, significa em primeiro lugar a liberação da alma.
Em segundo lugar significa a cura e a utilização prática das faculdades espirituais da alma.
Em última análise quer dizer o domínio total de qualquer paixão animal, de qualquer desejo próprio, em vantagem de um controle harmonioso e indiscutível da nossa parte divina.
Estes fatos devem ser bem registrados na memória e devemos também recordar que os vícios, os hábitos e as paixões, assim como outros traços desarmônicos do caráter, devem ser dominados. Até quando isto não se realiza, nós somos só os inermes “médiuns” da matéria.
Não é real e externa indulgência em uma prática particular qualquer aquilo que constitui um real vício, mas o poder, a força e o controle magnético que um tal costume ou prática exercita sobre o ser interior que na realidade constitui a transgressão verdadeira das leis mais elevadas do ser.
Depois de ter exposto brevemente os princípios gerais da cultura psíquica devemos só dizer brevemente algumas palavras de advertência.
Nenhum vício humano pode ser eliminado bruscamente, mas de maneira lenta e gradual, isto é quase imperceptivelmente. Uma suspensão repentina comporta uma reação violenta e, acima de qualquer coisa, a cultura psíquica requer calma e equilíbrio. Nenhum homem pode fazer uma inversão repentina do inferno para o céu.
Consequentemente é impossível saltar dos planos do desejo egoísta para o reino da luz espiritual em um só dia, semana, mês ou ano. Trata-se de um processo de crescimento gradual com o qual teremos modo de apreciar, após o período de maturação, o prazer espiritual dos frutos.
Lembrando-se disso a disciplina espiritual será então seguida de maneira sábia, boa e profícua.

Regras para a preparação oculta
1) O neófito deve abster-se do fumo, do uso de alcoólicos e drogas. A dieta deve ser pura, completa e manter um teor de vida pitagórico.
2) Todas as manhãs o neófito deve tomar um banho frio ou morno, de acordo com a sua constituição física, se é robusta ou delicada. Quando o banho não for possível o corpo deve ser limpo com uma toalha molhada.
3) Durante o dia, enquanto estiver ocupado com o próprio trabalho, o neófito deve esforçar-se para descobrir até mesmo o mínimo pensamento, palavra, fato ou murmúrio maligno, que em qualquer situação deve ser afastado. Na verdade o neófito deve realizar sem esforço os necessários deveres da vida e cultivar um estado da mente tranquilo, calmo, reservado e de autocontrole, permitindo assim ao seu si profundo de frear as penas, as alegrias, as surpresas, os prazeres e as dores. Deve recordar-se que as paixões e sensações do corpo representam juntos e separadamente estados inferiores da consciência ou, em outras palavras, centros de força oculta que procuram sempre usurpar o imperial poder do verdadeiro monarca, a vontade humana. A maior parte dos seres humanos não são só simples escravos de suas inclinações e paixões terrenas, mas assemelham-se, aos olhos dos verdadeiros ocultistas, a um império dividido em inumeráveis pequenos estados, cada um dos quais possui as próprias leis, suficientemente potentes para poder ignorar totalmente qualquer ordem do seu senhor principal. Até quando o corpo não será colocado sob o comando da vontade purificada e não permanecer absolutamente submetido à sua alma, o progresso oculto é realmente impossível. Esta é a maior barreira que deve superar o neófito, ou seja o próprio individualismo. "Primeiro conquiste você mesmo e só depois anseie a conquista das forças da natureza”.
4) Quando o neófito estiver progredido no caminho até o autocontrole, deve começar imediatamente um exercício ativo, fazer as abluções da manhã e da noite praticando com o espelho mágico ou meditando com a esfera de cristal precedido por um exercício de visualização.
5) Quando for necessário devem ser usados perfumes: incenso ou outros perfumes apropriados. Coloca-se a esfera de cristal ou o espelho em posição e sentando-se com a mente em estado passivo, contempla-se o centro ou fogo usando encantamentos e palavras sagradas apropriadas. Por exemplo: “A minha alma é una com o Universo e o meu espírito uma emanação divina”.
Logo após pedir à mente que medite sobre as palavras sagradas e ao mesmo tempo a vista espiritual da alma penetrará de maneira lenta mas segura com a luz astral que surge dos olhos do neófito na superfície magnética e sensível do espelho.
A mente deve ser mantida o mais possível no espiritual durante a prática e todos os objetos mundanos (profanos) devem desaparecer.

6) A prática da noite é muito diferente daquela da manhã. O neófito deve sentar-se em uma poltrona confortável ou deitar-se em uma cama em uma posição cômoda e fixar o (...) ou o espelho e começar a “formular” com os olhos da mente objetos mentais ou metafísicos, tentando projetá-los externamente na parede ou no teto.
Obterá para si mesmo muita vantagem do ponto de vista psíquico se tentar reproduzir alguns destes objetos durante o dia. Este é o grande segredo da penetração da luz astral. Queremos dizer que é o início do caminho que conduz aos mistérios da luz astral.
É melhor lembrar que não se pode fazer um talismã ou dirigir os poderes mágicos, se não se possui o domínio desta fase de FORMULAÇÃO. O melhor período para esta prática é no pôr do sol, quando estiver escuro ou à meia-noite, assim como no alvorecer (antes do nascer do Sol) ou durante a meditação da manhã.

7) Por último devemos dizer que o tom moral da vida do neófito deve ser puro, sem mancha e não contaminado pelos desejos egoístas.
Em particular modo devem ser controladas as relações sexuais e praticadas só após um estudo atento e bem considerado dos desejos e das próprias intenções.
O erro fatal do sexo é aquele que prejudicou milhões de aspirantes à iniciação oculta que consideravam-se bem encaminhados. (Zanoni).


OMNIA VINCIT VERITAS


Tradução do espanhol de Zalburis


Fonte: Thomas Burgoyne, The Light of Egypt, Editorial Kier, Buenos Aires

O RITUAL ESOTÉRICO NO POEMA "INICIAÇÃO" DE FERNANDO PESSOA

(na página Academias)


Accademie Hermetiche Kremmerziane Unite

última atualização julho de 2016


Newsflash