DELEGAÇÃO LATINO - AMERICANA

PIERO M. FENILI

Hoje dia 19 de janeiro de 2021 o excelso espírito de nosso querido Irmão e Mestre Piero Fenili ascendeu serenamente e realizado aos Campos Elíseos. Alí se uniu às almas dos Irmãos amados pelos deuses os quais a exemplo do querido Irmão Piero percorreram suas vidas no caminho da verdade e da justiça. Elevamos ao seu espírito a nossa gratidão e o nosso amor fraterno pelo trabalho profuso em prol da Ciência dos magos e do Hermetismo.

_______________


A CASA DA VIDA


O interesse pela Gnose tradicional, despertado pela perda espiritual de nossos tempos, constitui em si uma ilustração do estado de ânimo da época em que florescia o "Gnosticismo". Há uma única diferença: a nossa confusão é a consequência de ter enveredado por uma falsa via de busca, o caminho seguido pelo racionalismo, enquanto, no final do Império faraônico, perto do nascimento do cristianismo, foi o fechamento do Templo da eterna Sabedoria que deixou sem orientação o homem ávido por Conhecimento.


(continua na pagina Kremmerz)


O ESPELHO D’ÁGUA



O truque existia, mas bem escondido. Nos gases subterrâneos e com alavancas escondidas, com pequenos furos que transpassavam a pedra e faziam vazar a luz como em uma visão, no reflexo dos muros dispostos geometricamente, o truque havia, o sacerdote sorria imperceptivelmente... e as massas, encantadas, assistiam às cerimônias do oráculo.


(continua na pagina Magnani)



http://www.fratellanzahermetica.org/wp-content/uploads/paracelsus.jpg

PARACELSO E AS CAUSAS OCULTAS DAS ENFERMIDADES

(Mensagem de fim de ano do Delegado Geral)

Queridos irmãos, este ano, em vez da tradicional mensagem de fim de ano, dada a extraordinária emergência sanitária que estamos vivendo, prefiro publicar algumas notas sobre Paracelso que espero nos ajudem a superar este momento difícil:

________

Enquanto os homens não compreenderem as razões ocultas das doenças, a epidemia (e a pandemia) não será debelada.

Este conceito deriva dos conhecimentos científicos e mágicos dos Rosacruzes e de Paracelso: o mecanismo psíquico que encaminha o homem aos vícios das drogas, do álcool e do sexo, ao prazer desenfreado alimentado pelas drogas e pelo álcool, muito provavelmente se encontra na base da moderna epidemia.

É importante considerar que o uso imoderado de drogas e do álcool conduz a uma alteração nos neurônios cerebrais e a um enfraquecimento do sistema imunológico: em outras palavras, é uma porta aberta ao ingresso de vírus e de doenças diversas no corpo humano.

Recorramos a Paracelso. Como se sabe, Paracelso desenvolveu uma concepção sobre as causas das doenças que o colocou em claro confronto com a ciência oficial de seu tempo, situação que permanece até hoje, pelo simples motivo de que Paracelso evitou sustentar exclusivamente as causas biológicas e materiais da doença e indagou em primeiro lugar quais seriam as causas ocultas que descreveremos no curso deste escrito, citando alguns excertos da obra do célebre médico-hermetista.

Se na esfera de nossa alma existem elementos maléficos, esses atraem uma influência astral de forma a desenvolver doenças.

As causas de todas as doenças derivam igualmente da vontade. Todas as moléstias que não são causadas por alguma ação mecânica proveniente do exterior são devidas a uma ação pervertida da vontade do homem, não mais em harmonia com as leis da natureza ou de Deus. Se sua vontade começa a agir de forma contrastante com essas leis, será criado um estado de desarmonia que finalmente se exprime no plano visível externo, não sendo necessário que a pessoa doente esteja consciente desta atividade desarmônica, porque a vontade que nela se encontra produz também os movimentos harmoniosos de seus órgãos internos sem que disso de tenha consciência e sem o consentimento da razão”.

A propósito da defesa imunitária (veja-se o Rito de Júpiter) que se encontra na base da defesa do organismo humano contra os ataques destrutivos das doenças, disse Paracelso:

“O homem é muito mais sujeito às doenças do que os animais que vivem em estado de liberdade, porque estes vivem em harmonia com as leis de sua própria natureza, enquanto o homem age continuamente contra as leis de sua própria natureza, especialmente no que se refere ao comer e ao beber. Enquanto seu corpo estiver forte, poderá rechaçar ou superar as influências nocivas causadas de maneira contínua por sua intemperança, por sua gulodice e seus gostos mórbidos; mas esse esforço contínuo de resistência implica uma séria perda de vitalidade e chegará um tempo no qual uma doença será o resultado.

Quando o organismo está debilitado e sua vitalidade em declínio, poderão se desenvolver germes de outras doenças por intermédio de danosas influências astrais, porque seu poder de resistência está enfraquecido, e desta forma uma doença pode se desenvolver de outra.

Um estado mórbido do corpo é frequentemente causado por um estado mórbido da mente. A maior parte das doenças é devida às causas morais e seu tratamento deve ser moral, consistindo em dar intruções e na aplicação de medicamentos que correspondam àqueles estados mentais que devemos induzir no paciente”.

Em uma parte de sua obra Paracelso fala do abuso dos poderes fisiológicos, os quais hoje se configuram pelo uso antinatural propiciado e favorecido de maneira obsessiva pela utilização de drogas e excitantes de vários tipos, e do dano que se produz ao sexo feminino, que é a primeira vítima destes abusos (de fato estamos assistindo, de um lado, a uma alteração da sexualidade no homem que perde a virilidade e se efemina e de outro lado às consequências que se refletem na mulher, sempre menos feminina e que tende a masculinizar-se: etimologicamente viril vem do Latim: vir, homem; mulher (port) vem do termo latino mulier, donna (ita) do termo latino domina (signora, senhora da casa)).

Muitas doenças são provocadas especialmente pelo abuso dos poderes fisiológicos em consequência do que os órgãos perdem sua força e sua vitalidade. A potência sexual pode se exaurir prematuramente pelo excesso, e a saúde das mulheres pode ser destruída pela frequência antinatural com a qual são executados atos naturais.

O verdadeiro médico estuda as causas das doenças estudando o homem universal (veja-se a este propósito os estudos de anatomia de Leonardo da Vinci, ndc). No homem universal estão todas as doenças que existiram no passado e as que existirão no futuro.

A origem das doenças está no homem e não fora deste; porém as influências externas agem em seu íntimo e fazem com que se desenvolva a doença. Um médico que nada saiba de cosmologia saberá bem pouco sobre as diversas enfermidades.

As enfermidades que tem causas espirituais incluem todos os males que são provocados pelas paixões, maus desejos, pensamentos desordenados e imaginação mórbida.

É menos conhecido o fato de que a imaginação maléfica de uma pessoa pode influir na mente de outra, envenenar sua vitalidade e danificar ou matar seu corpo. A razão pela qual isto não é geralmente conhecido é que a imaginação da maioria dos homens e mulheres, no atual estado de civilização, é muito débil, muito incerta a própria vontade, e a sua fé muito permeada pela dúvida para produzir os efeitos desejados; e é uma grande sorte que sua imaginação, por mais malvada de que possa ser, não tenha muito poder enquanto o estado de moralidade não for mais avançado do que é hoje.

E aqui citarei um trecho que recorda de maneira muito próxima a Medicina Hermética de Kremmerz e a virtude contida nas práticas por ele ensinadas e transmitidas pela Fraternidade Terapêutica e Mágica de Myriam:

A imaginação é a causa de muitas doenças; a fé é a cura para todas. Se não podemos curar uma enfermidade com a fé, é porque nossa fé é muito débil; mas a fé é débil por falta de conhecimento; se fôssemos conscientes do poder de Deus em nós mesmos não falharíamos. O poder dos amuletos não consiste tanto na matéria dos quais são confeccionados e sim na fé com a qual são construídos e portados; o poder curativo de um medicamento consiste frequentemente não tanto no espirito nele oculto, mas no espírito com o qual será tomado. A fé o torna eficaz, a dúvida destrói sua virtude.

O Ente espiritual (ou vontade) é um poder que pode agir sobre o corpo inteiro e produzir ou curar todo gênero de mal; não é um Anjo, nem um demônio, mas um poder espiritual que, no corpo vivente, nasce de nossos pensamentos.

o espírito, intangível e invisível, é o princípio espiritual que pode ser viciado e doente como o corpo e transmitir ao corpo sua enfermidade.

Todas as enfermidades são efeitos de causas já existentes. Algumas tem origem em causas naturais e outras em causas espirituais. As causas espirituais são aqueles que não foram criadas pelo homem durante sua vida presente, mas que o foram durante vidas pregressas. Por esta razão não há outro remédio senão esperar pacientemente até que a força maléfica seja exaurida e que a lei de justiça esteja satisfeita porque mesmo que a justa retribuição de nossos erros possa ser evitada uma vez, estaria somente adiada e o mal retornaria outra vez com maior força e interesse.

Todo irmão que leia e medite sobre este ensinamento de Paracelso pode naturalmente concluir sobre as razões pelas quais nos tempos atuais somos forçados a combater com numerosas enfermidades e recentemente também com epidemia que se mostra resistente à cura (nem sempre correta conforme Paracelso), sendo portanto destrutiva para o gênero humano.

Fonte: Franz Hartmann: Il MONDO MAGICO DI PARACELSO, Roma.

Fratellanza Hermetica










última atualização Novembro 2020


Newsflash