DELEGAÇÃO LATINO-AMERICANA

INTRODUÇÃO AO RITUAL DA MAÇONARIA EGÍPCIA DE CAGLIOSTRO

Se às vêzes êle utilizava certos processos vizinhos do magnetismo, fazia-o tal qual praticava a medicina clássica, tal qual trabalhava em seu laboratório ou se interessava por empreendimentos industriais. Não o deixava indiferente nenhum ramo das ciências humanas, pois nesse ramo via a parte de verdade que exprimia, mas não fazia disso comércio e nem se atinha exclusivamente a isso. Em cada uma das cidades onde habitou, sua atividade era empregada de um modo diferente. Dava seu tempo, seus remédios e seu dinheiro aos doentes que se apresentavam, e passava a outros trabalhos.


(continua na página Kremmerz)


LEONE CAETANI: O PROBLEMA DO MOMENTO PRESENTE

A Iniciação Mediterrânea teve e tem até hoje, como Seu fundamento, a APOCATASTASIS, ou seja a Re-Integração na Divindade, em contraposição à semítica “ressurreição da carne”. Aquilo que é corruptível, sujeito a degradação e mutação química, como o corpo, não pode ressurgir, mas é inevitavelmente destinado a perecer. Mas aquilo que os Egípcios definiam AKH, e os Grego-Romanos chamavam NOUS, está destinado à imortalidade, com tanto que Este eleve-se até a união com o plano Divino. Por isso a “vida eterna”, prometida pelos apóstolos das religiões semíticas NÃO EXISTE senão para pouquíssimos.

(continua na página Magnani


Pro salute populi

APOLOGIA DO SAL

Um colaborador do jornal “Il Messaggero” faz este panegírico do sal.
“Vocês querem conhecer quais e quantas virtudes possui o cloreto de sódio, vulgarmente conhecido com o nome de “sal de cozinha”? Muito bem, direi imediatamente!”
“É um ótimo antisséptico, um tônico excelente e um bom estimulante. Um saquinho de sal quente colocado sobre a parte do corpo que sofre, alivia o sofrimento produzido pela dor de dente e pelas nevralgias.”
“Em todas as doenças da boca e da garganta a água salgada constitui um excelente gargarejo.”
“Na crupe das crianças uma colher de café de sal refinado misturado com uma colher de mel, libera milagrosamente a garganta da criança e permite esperar sem muita inquietação a chegada do médico.”
“Nas torções dos pés, banhos feitos com água com muito sal, fazem desaparecer o inchaço quase que imediatamente.”
“Lavando-se os cabelos com água e sal pelo menos uma vez por semana previne-se ou se interrompe a queda dos cabelos.”
“O sal é um excelente creme dental, tira o tártaro, reforça as gengivas e torna mais brancos os dentes.”
“A água salgada quente, na qual se coloque um pouco de vinagre, alivia e às vezes cessa a disenteria.”
“Na dispepsia, nas cólicas intestinais, e em muitos distúrbios digestivos é ótima a água salgada fria.”
“A água salgada morna tira a inflamação dos olhos. Também é um excelente emético conveniente para o caso de uma urgência.”
“O sal em pó ajuda muitíssimo nas nevralgias e nos reumatismos da cabeça, cheirando um pouco como se faz com o rapé.”
“Esfregando a sola dos pés com sal em pó, usando um pano áspero, antes de uma longa corrida, o pé ficará sempre fresco.”
“O sal na água do banho, a fortifica quase como aquela do mar.”
“As estampas enxaguadas com água salgada recobram a primitiva vivacidade.”
“Um pouco de sal no leite de cal que usam os pedreiros para pintar os muros, torna-o mais aderente e pode economicamente substituir o leite que se usa geralmente para este objetivo.”
“Os tapetes polvilhados com sal, antes de varre-los, não soltam o pó e as cores ficam brilhantes.”

Publicado no “Commentarium” Revista dirigida por Giuliano Kremmerz, ano 1910.


Ultima atualização: agosto de 2015

Newsflash